Os entusiastas de automóveis lembram-se de quando a maioria dos veículos tinha caixas de velocidades manuais e apenas os modelos mais topo de gama tinham transmissões automáticas. Agora, a transmissão continuamente variável (CVT) está substituindo cada vez mais a transmissão automática tradicional. Se você está comprando um veículo novo ou gosta de saber como os carros funcionam, provavelmente terá dúvidas sobre os CVTs. Neste artigo responderemos às seguintes perguntas: O que é um CVT? O que torna os CVTs diferentes das transmissões automáticas tradicionais? E quais são os prós e os contras de ter um CVT no carro?

O que é uma transmissão continuamente variável (CVT)?

Os CVTs fornecem uma relação de transmissão continuamente variável para manter o motor do carro operando dentro da faixa ideal de rpm para qualquer situação de direção. Às vezes conhecida como transmissão sem mudanças, sem passos ou de velocidade única, uma CVT de marcha única difere de uma transmissão automática tradicional por fornecer múltiplas relações de marcha.

Embora Leonardo da Vinci tenha projetado o primeiro CVT em 1490 e Daimler e Benz tenham patenteado seu projeto em 1886, a popularidade dos CVTs cresceu como uma bola de neve nos últimos anos. A crescente popularidade do CVT deriva do desenvolvimento de tecnologia que proporciona maior eficiência.

Os veículos familiares de modelos recentes com CVTs incluem o Honda Civic, Accord e CR-V; o Toyota Corolla, Camry, Corolla Cross, RAV4 e Highlander; o Nissan Sentra, Altima e Rogue; o Ford Escape Híbrido e Maverick; o Chevy Malibu e o Trailblazer; o Hyundai Elantra; o Kia Forte, Seltos e Soul; e a maioria dos Subarus.

Quais são as vantagens de uma transmissão continuamente variável?

A eficiência de combustível e a redução de emissões são os principais benefícios das transmissões continuamente variáveis. A capacidade do CVT de manter a rotação ideal do motor e a dinâmica do veículo através de sua operação sem mudanças cria um sistema mais eficiente do que as transmissões automáticas e manuais tradicionais. Permanecer mais próximo da faixa ideal de rpm também exerce menos pressão sobre o motor do veículo.

Além disso, os motoristas notam acelerações e desacelerações mais suaves em veículos equipados com CVT devido à falta de pontos de mudança abruptos. Outro benefício de equipar carros com CVTs é o tamanho leve e compacto da unidade. As montadoras também apreciam a eficiência do CVT com motores menores e custo mais baixo do que as opções de transmissão tradicionais.

Há alguma desvantagem nas transmissões CVT?

Nenhum sistema de transmissão é perfeito. Embora a operação sem mudanças seja uma das principais vantagens da operação CVT, a falta de pontos de mudança pode parecer incomum ao dirigir pela primeira vez um veículo com transmissão continuamente variável. Muitos motoristas acham estranha a sensação de mudança de marcha porque esperam que a transmissão mude em algum momento, mas isso nunca acontece. Carfax diz que alguns motoristas relatam que essa sensação leva a uma experiência de direção desinteressante.

Outros contras do CVT incluem aceleração mais alta que o normal, fluido CVT relativamente caro e reparos potencialmente mais caros. Além disso, uma transmissão manual ou automática é mais desejável para reboque pesado ou aumento de desempenho.

Embora os CVTs tenham prós e contras significativos, outros tipos de transmissão também têm. Em última análise, os CVTs vieram para ficar, pelo menos até que os EVs os eliminem com uma experiência semelhante sem mudanças devido às suas configurações de transmissão de velocidade única. Tal como aconteceu com as evoluções da transmissão do passado – da manual para a automática e agora para a CVT – algumas pessoas gostam da nova tecnologia e outras resistem a ela o máximo de tempo possível.

Avalie este item

0 / 7

Your page rank:

Deixe Uma Resposta